Transição de chefia no MPT-MS ocorre na próxima quinta-feira (7)

Procurador-geral do Trabalho Alberto Bastos Balazeiro irá presidir solenidade

04/11/2019 - A mudança no comando do Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT-MS) será formalizada em cerimônia marcada para a próxima quinta-feira (7), às 17h30, no auditório da nova sede da instituição em Campo Grande – Avenida Dr. Paulo Machado, nº 120, Royal Park. O procurador-geral do Trabalho Alberto Bastos Balazeiro dará posse a Cândice Gabriela Arosio no cargo de procuradora-chefe, incumbindo-lhe a gestão administrativa, financeira e de pessoal da unidade, além da representação política do MPT-MS, no biênio 2019-2021. Ela sucede o procurador Leontino Ferreira de Lima Junior, que respondeu pela instituição nos últimos dois anos. Em outubro, Cândice e outros 23 procuradores tomaram posse coletiva em Brasília/DF.

Instalado no estado em outubro de 1992, o MPT atua no combate ao trabalho infantil, ao trabalho escravo contemporâneo, à discriminação nas relações laborais, às fraudes trabalhistas e às irregularidades na Administração Pública. Sua missão constitucional também alcança iniciativas de promoção da liberdade sindical e de adequação do meio ambiente laboral às normas regulamentadoras de saúde e segurança do trabalho.

Cândice Arosio é natural de Passo Fundo, município localizado na região norte do Estado do Rio Grande do Sul. Iniciou a carreira no MPT em outubro de 2010, sendo desde o início lotada na Procuradoria do Trabalho no Município de Dourados. Antes, atuou como juíza do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, com sede em São Paulo.

A eleição que culminou na escolha unânime da procuradora Cândice Gabriela Arosio para a chefia do MPT-MS foi realizada no dia 2 de setembro, com a participação da maioria absoluta do colegiado de procuradores do órgão.

Balazeiro

A transição de chefia no MPT-MS estreia a primeira visita de Alberto Bastos Balazeiro ao Estado de Mato Grosso do Sul, depois de ser empossado no cargo de procurador-geral do Trabalho em agosto deste ano. Em seu discurso de posse, Balazeiro afirmou que há muitos desafios pela frente e que atuará para amplificar o papel do Ministério Público do Trabalho como defensor intransigente dos direitos sociais e do trabalho digno.  

“Espero contribuir para esse debate de mais efetividade, de mais ação transformadora do MPT: no combate ao trabalho escravo, ao trabalho infantil, ao assédio moral, sexual. E reforçar nossas bandeiras a partir de uma atuação resolutiva e que a sociedade se identifique, para uma maior projeção do MPT no país e na esfera internacional”, disse Balazeiro à época.

Crítico da reforma trabalhista, o novo procurador-geral do Trabalho frisou que o MPT é aliado do progresso e da economia. No entanto, segundo ele, os avanços não podem vir acompanhados do desmantelamento dos direitos sociais nem de reformas "atabalhoadas", e que o momento exige capacidade de articulação. “Uma instituição firme, que dialoga e interage com empregados e empregadores, sindicatos, poderes e todos os entes estatais, é a vocação natural do Parquet laboral.”

Aos 41 anos, Balazeiro foi nomeado para o posto máximo da instituição por meio de lista tríplice - ele obteve 563 de um total de 744 votos. Ele ingressou no MPT em 2008 e na Bahia, sua terra natal, ocupou por duas vezes o cargo de procurador-chefe.

Fonte: Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul
Informações: (67) 3358-3035
www.prt24.mpt.mp.br | twitter: @MPT_MS | instagram: @MPT_MS

Imprimir